< Back to all Publications

Técnicas Agrícolas de Alto Rendimento: Barreiras à Adoção e Soluções Potenciais

and

Published: November, 2013

O Plantio Direto (PD), um método de produção que minimiza o uso do arado, é um dos maiores avanços em décadas na tecnologia agrícola. Os agricultores que adotam o PD têm melhores resultados e menor custo em comparação com as técnicas tradicionais, e reduzir as emissões de dióxido de carbono na atmosfera – resultados que beneficiem a si mesmos e ao tempo tanto os agricultores. A adoção do PD não requer custos iniciais significativos, ea colheita é menos sujeito a variações. No entanto, os níveis de adoção continuam muito baixos cerca de quarenta anos após a introdução do sistema no Sul em 1971: apenas 10% dos agricultores utilizaram o sistema em 2006 (similar para pequenos e grandes agricultores extra). Dadas as vantagens claras de PD para os agricultores, a baixa taxa de adoção sugere a existência de um método de barreira de difusão.

Neste estudo, apresentamos evidências de que a aprendizagem social – ou seja, o aprendizado de novas técnicas utilizadas pelos vizinhos e colegas – teve um papel significativo na propagação do PD no Brasil. Nós também apresentam evidências de que semelhanças ou diferenças de solos afetam a aprendizagem social e, portanto, a adoção de uma nova tecnologia: quando um município possui solos mais homogêneos, torna-se mais fácil de aprender com a experiência dos outros. Este efeito é particularmente relevante em áreas com níveis intermediários de adoção de PD – ou seja, quando o número de usuários da DP ainda não atingiram a maturidade, mas é o suficiente para permitir a difusão do conhecimento entre os agricultores.

Finalmente, descobrimos que outros mecanismos de difusão de DPS (por exemplo, a formação formal) reforçar o mecanismo de aprendizagem social – que elevam as taxas de adoção de PD além da massa crítica necessária para a aprendizagem.

Estes resultados têm duas implicações para as políticas públicas:

  • Em primeiro lugar, para aumentar a produtividade agrícola, não apenas lidar com a inovação, o desenvolvimento de modelos de negócio ou apoiar a adoção. É essencial para divulgar informações sobre o uso de novas técnicas. Nossos resultados sugerem que um processo de formação itinerante, passando de um município para outro ao longo do tempo, podem ter um impacto significativo sobre a difusão do conhecimento. De fato, um dos principais canais alternativos mostrará impacto são centros privados de radiodifusão organizados pela Federação Brasileira de Plantio Direto na palha, com o apoio de empresas e associações locais. Estes centros, em geral, funcionam apenas temporariamente – até que a adoção do PD na região atingir uma massa crítica que permite a difusão de aprendizagem autónoma. Nossa análise sugere que a política pública deve seguir este exemplo do setor privado para aumentar a taxa de adoção de PD em um nível a partir do qual o sistema pode desenvolver através da aprendizagem social.
  • Além disso, o resultado desses esforços depende fundamentalmente da composição do solo em cada município. Quando os solos são semelhantes, aprendendo com os vizinhos torna-se mais fácil. O aumento do nível de adoção permite alcançar um nível mínimo a partir do qual a aprendizagem social torna-se viável. A implicação é clara: para alcançar a melhor relação custo-benefício, as políticas públicas devem levar em conta a diversidade geográfica de cada região e, inicialmente, operar em áreas onde a aprendizagem social pode desenvolver-se rapidamente.

Este resumo começa com uma breve descrição da metodologia empregada. Ela passa a descrever os três principais resultados do trabalho, com ênfase sobre as implicações para as políticas públicas.

Relacionados: