< Back to all Publications

Como DETER o Desmatamento na Amazônia? O Impacto da Mudança na Política de Comando e Controle

, and

Revised: February, 2017
Published: May, 2013

A Amazônia é a maior floresta tropical do mundo. No Brasil, a floresta originalmente ocupava mais de quatro milhões de quilômetros quadrados – uma área equivalente a quase metade da Europa continental. A taxa de desmatamento da Amazônia cresceu substancialmente no início dos anos 2000, atingindo um pico de mais de 27.000 km2 em 2004, mas caiu de forma acentuada para cerca de 5.000 km2 em 2011 (INPE [2012]). A evidência empírica apresentada em estudos anteriores do CPI/PUC-Rio  sugere que mudanças nas políticas de conservação brasileiras ajudaram a enfrentar o desafio de proteger essa imensa área, contribuindo de maneira significativa para a recente desaceleração do desmatamento.

Neste estudo, damos um passo à frente e respondemos à seguinte pergunta: quais foram as políticas que mais contribuíram para a redução do desmatamento na Amazônia?

Nossa análise revela que a implementação do Sistema de Detecção de Desmatamento em Tempo Real (DETER), que permite a frequente e rápida identificação de focos de desmatamento através do uso de informações de satélite, foi o principal motor da desaceleração do desmatamento nos anos 2000. Desde sua ativação, o DETER tem orientado a focalização de atividades de comando e controle na Amazônia.

Estimamos que as políticas de comando e controle baseadas no DETER impediram o desmatamento de mais de 59.500 km2 de floresta amazônica entre 2007 e 2011. O desmatamento observado nesse período foi de 41.500 km2 – 59% menor do que na ausência da mudança de política. Os resultados indicam, ainda, que a mudança não afetou a produção agropecuária na região.

English materials: DETERring Deforestation in the Brazilian Amazon: Environmental Monitoring and Law Enforcement

Destaque em: