< Back to all Publications

Expansão da produção agrícola no Matopiba: consequências para a economia local

Published: August, 2016

Os estados do Maranhão, Tocantins, Piauí e Bahia, conhecidos coletivamente como MATOPIBA, se tornaram uma importante fronteira agrícola ao longo das últimas duas décadas. A região é atualmente responsável por 10% da produção de grãos no país e é um importante vetor na expansão do cultivo de soja e de milho. Apesar da importância de MATOPIBA para a economia brasileira, o impacto e a dimensão dessa intensificação da agricultura ainda não foram estudados a fundo. Pesquisadores do Núcleo de Avaliação de Políticas Climáticas da PUC-Rio/ Climate Policy Initiative (CPI), no âmbito do projeto INPUT, examinaram o crescimento da produção agrícola sobre os municípios locais, para que formuladores de políticas e atores envolvidos com o tema compreendam melhor seus efeitos.

O estudo mostra que a expansão agrícola no MATOPIBA é altamente concentrada em municípios localizados no Cerrado (Figura 1). Estimativas indicam que, no final dos anos 1990, a proporção de terras cultivadas e o valor da produção agrícola começaram a aumentar mais rapidamente em municípios localizados dentro do bioma do que fora dele. Entre 1995 e 2012, a área plantada dos municípios nos limites do Cerrado cresceu 3,6 pontos percentuais a mais do que em municípios dos outros biomas da região, enquanto o valor da produção agrícola subiu 140% a mais. Este aumento de produtividade se deveu não somente à expansão de terras agrícolas, mas também à mudança na composição da matriz de cultivo do arroz para a soja. A análise também indica que a intensificação provocou redução na criação de gado em municípios do Cerrado, à medida que os agricultores substituíram pastagens por lavouras.

DESTAQUES

 

  • 1995-2012: a fração da área plantada dos municípios do Cerrado cresceu 3,6 pontos percentuais a mais e o valor da produção agrícola subiu 140% a mais do que nas demais localidades;
  • A expansão agrícola gerou aumento de 37% no PIB per capita e de 10% no PIB de serviços. Entre 1999 e 2012, o PIB per capita aumentou 11% a mais nos municípios do Cerrado em relação às demais localidades.